Teoria do Desenvolvimento Cognitivo de Lev Vygotsky

36
99744

O teórico de desenvolvimento cognitivo Lev Vygotsky (1896 – 1934) morreu tragicamente de turbeculose com apenas 38 anos de idade. Apesar de seu desaparecimento prematuro, o valor de Vygotsky geralmente é considerado como segundo apenas ao de Piaget, em função de sua importância para o campo do desenvolvimento cognitivo. É extraordinário o que Vygotsky realizou, em uma vida de tão curta duração. Além do mais, a influência desse psicólogo russo cresceu nos anos recentes. Enquanto Piaget dominava a psicologia do desenvolvimento nas décadas de 60 e 70, Vygotsky era redescoberto nos fins dos anos 70 e 80 e continua a ser influente hoje em dia. Ainda que ele tivesse muitas ideias férteis, duas delas são especialmente importantes para que as consideremos aqui: a internalização e a zona proximal de desenvolvimento.

  • Internalização

Na teoria de Piaget, o desenvolvimento cognitivo origina-se enormemente “de dentro para fora” pela maturação. Os ambientes podem favorecer ou impedir o desenvolvimento, mas ele enfatiza o aspecto biológico e, portanto, maturativo do desenvolvimento. A teoria de Vygotsky (1962, 1978) adota uma abordagem inteiramente diferente. Em comparação à abordagem dentro-fora de Piaget, Vygotsky enfatiza o papel do ambiente no desenvolvimento intelectual das crianças. Postula que o desenvolvimento procede enormemente de fora para dentro, pela internalização – a absorção do conhecimento proveniente do contexto. Assim, as influências sociais, em vez de biológicas, são fundamentais na sua teoria.

A ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL é um dos mais notáveis conceitos em psicologia do desenvolvimento cognitivo, visto que pode capacitar-nos a investigar além do desempenho observado de uma criança

Diariamente, em casa, na escola e na rua, as crianças observam o que as pessoas dizem e como dizem isso, o que fazem e por que fazem isso. Depois, elas internalizam o que vêem, transformando-o em sua propriedade. Recriam, dentro de si próprias, as espécies de conversações e de outras interações observadas em seu mundo. Segundo Vygotsky, então, grande parte da aprendizagem das crianças ocorre pelas interações infantis no ambiente, que determina amplamente o que a criança internaliza.

Consideremos, por exemplo, uma menina em um trem sacolejante. Quando o trem esta solavancando, ela levanta para caminhar no corredor. Suponhamos que sua mãe simplesmente diz-lhe, autoritariamente: “Sente-se”, sem nenhuma explicação. Uma oportunidade para aprender foi perdida. A criança pode não se dar ao trabalho de inferir o raciocínio subjacente ao pedido de sua mãe. Entretanto, suponhamos, em vez disso, que a mãe lhe diga: “Sente-se, porque o trem pode dar solavancos ou parar subitamente e você pode cair.” A criança agora tem uma oportunidade não só para modificar seu comportamento, mas também para aprender como usar essa modificação em outras circunstâncias apropriadas. Assim, o genitor e outras pessoas no ambiente da criança podem ampliar o conhecimento desta última e facilitar sua aprendizagem por meio de suas interações com a mesma.

  • A Zona Proximal de Desenvolvimento
A ZDP é a amplitude de capacidade na qual uma criança pode ser capaz de alargar os limites de seu desempenho, a fim de aproximar-se mais estreitamento de sua competência potencial.
A ZDP é a amplitude de capacidade na qual uma criança pode ser capaz de alargar os limites de seu desempenho, a fim de aproximar-se mais estreitamento de sua competência potencial.

A segunda maior contribuição de Vygotsky para a psicologia pedagógica e do desenvolvimento é seu constructo da zona de desenvolvimento proximal (ZDP) (às vezes, denominada de zona potencial de desenvolvimento). A ZDP é a amplitude de capacidade observável (desempenho) de uma criança e a capacidade latente (competência) da criança, a qual não é diretamente óbvia (ver figura ao lado). Quando observamos as crianças, o que tipicamente observamos é a capacidade que elas desenvolveram, pela interação da hereditariedade e do ambiente. Em grande parte, entretanto, estamos verdadeiramente interessados no que elas são capazes de fazer – qual seria seu potencial , se estivessem liberadas dos limites de um ambiente que jamais é realmente ótimo. Antes de Vygotsky propor sua teoria, as pessoas estavam inseguras quanto a como avaliar essa capacidade latente.

Ele sustentava que precisamos reconsiderar não só como ponderamos as capacidades cognitivas infantis, mas também como as avaliamos. Tipicamente, testamos as crianças num ambiente de avaliação estático, no qual um examinador faz perguntas e espera que a criança as responda. Caso ela responda correta ou incorretamente, o examinador passa para a pergunta ou a tarefa seguinte na lista de itens do teste. Da mesma forma que Piaget, Vygotsky interessava-se não apenas nas respostas corretas das crianças, mas também em suas respostas incorretas às perguntas.

Desse modo, Vygotsky recomendava que passássemos de um ambiente de avaliação estático para um ambiente de avaliação dinâmico, no qual a interação entre criança e examinador não acaba quando ela responde, especialmente se responde incorretamente. Na testagem estática, quando uma criança dá uma resposta errada, o examinador passa para o problema seguinte. Na avaliação dinâmica, quando ela dá uma resposta errada, o examinador dá-lhe uma sequência gradual de sugestões dirigidas, a fim de facilitar a resolução do problema. Em outras palavras, o examinador funciona tanto como professor quanto como aplicador do teste.

Como é verdadeiro para quase todas as contribuições significativas à ciência, as ideias de Vygotsky e de Piaget são avaliadas mais por quanto nos estimulam a ampliar nosso conhecimento, do que por quão perfeitamente representaram uma compreensão completa e definitiva da mente humana em desenvolvimento

O examinador está particularmente interessado na capacidade da criança para usar as sugestões. Essa capacidade é a base para avaliar a ZDP, uma vez que indica a extensão na qual a criança pode expandir-se, além das suas capacidades observáveis à época da testagem. Duas crianças podem responder incorretamente a um dado problema. Entretanto, uma delas que pode tirar proveito da instrução potencialmente pode ir longe, ao passo que a outra, que não pode beneficiar-se com a instrução, provavelmente, não adquire as habilidades necessárias para resolver não só o problema que está sendo testado, mas também os que lhe são relacionados. Diversos testes foram criados para avaliar a ZDP, sendo o mais famoso o Plano de Avaliação Potencial da Aprendizagem (Learning Potential Assessment Device), de Reuven Feuerstein (1979).

A ZDP é um dos mais notáveis conceitos em psicologia do desenvolvimento cognitivo, visto que pode capacitar-nos a investigar além do desempenho observado de uma criança. De mais a mais, a combinação de testagem e de ensino atrai muitos psicólogos e educadores. Educadores, psicólogos e outros pesquisadores foram cativados pela noção de Vygotsky de que podemos ampliar e facilitar o desenvolvimento das capacidades cognitivas das crianças.

Conforme evidenciado pelos estudos da experiência de aprendizagem mediada e da instrução direta do conhecimento tácito, as ideias de Vygotsky estimularam tanto as aplicações práticas adicionais, como as investigações ulteriores quanto à nossa compreensão fundamental de como se desenvolve a cognição. Ainda que vivesse outros 38 anos ou mais, ele não nos teria dado um quadro completo, definitivo e perfeito do modo como o pensamento infantil se desenvolve.

Tanto Piaget quanto Vygotsky – indiscutivelmente os dois psicólogos do desenvolvimento mais influentes até hoje – instigaram-nos a não nos contentarmos apenas em observar se as respostas das crianças às perguntas e às tarefas eram corretas. O poder desses dois psicólogos do desenvolvimento repousa em seu interesse em investigar abaixo da superfície, para tentar compreender por que elas se comportam e respondem como o fazem. Como é verdadeiro para quase todas as contribuições significativas à ciência, as ideias de Vygotsky e de Piaget são avaliadas mais por quanto nos estimulam a ampliar nosso conhecimento, do que por quão perfeitamente representaram uma compreensão completa e definitiva da mente humana em desenvolvimento. Talvez, o máximo que possamos exigir de uma teoria é que ela seja digna de investigação posterior.

Leia também: O que é zona de desenvolvimento proximal?
Participe de nossa lista de discussão. Para fazer a sua inscrição basta enviar um e-mail para instituto-helio-teixeira@googlegroups.com.

Conheça os nossos cursos e participe!

36 COMENTÁRIOS

  1. Sr Hélio, venho por meio deste, agradecê-lo pelo conteúdo que me serviu de imenso auxílio em minhas pesquisas acadêmicas.

    Excelente trabalho realizado pelo senhor! Que Deus o abençoe grandemente e cada vez mais!
    Atenciosamente…

  2. Boa tarde
    Tive uma questão de concurso anulada e queria que vc me tirasse a duvida o que estria certo.
    Pergunta
    Para Vygotsky 1896-1934 o desenvolvimento cognitivo é produzido pelo processo de interiorização da interação social com matérias FORNECIDOS PELA CULTURA. aS POTENCIALIDADES DO INDIVIDUO DEVEM SER LEVADAS EM CONTA DURANTE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM.
    VYGOTSKY l.a formação social DA mente são paulo martins fontes 1984
    Opção de resposta.

    A- Abordagem comportamentista ou behaviorismo
    B- Abordagem cognitiva
    C_ Abordagem humanista
    D- Abordagem sócio histórica
    O que vc acha que esta certo eu marquei a letra B
    a questão foi anulada o que vc acha onde fala disso.
    Qual seria a resposta

    • esqueci de postar o resto da pergunta.
      Perguntava assim:
      DE acordo com o trecho acima a teoria de aprendizagem é caracterizada pela:
      A vinha a opção de resposta.

      • Olá, analisando a pergunta você consegue perceber os elementos: interação social e Cultura.

        Entendendo isto já iríamos entender que a resposta seria a letra D- Abordagem sócio histórica.

        Para confirmar a resposta, aqui está um título de um livro:
        Vygotsky: Aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico. Editora Scipione.

        sócio-histórico = sócio histórica

        😉

      • Nenhuma … é a historico-cultural ( mais conhecida como Psicologia Histórico Cultural- PHC) … e nao é uma teoria de aprendizagem … por isso foi anulada

    • Olá Angelica

      Tudo bem?

      Infelizmente a sua resposta foi anulada corretamente. A resposta correta é a opção “D”.

      Sempre que você precisar, sinta-se a vontade para enviar qualquer outro questionamento.

      Grande abraço,

      Hélio Teixeira

  3. A linguagem do texto permite que aqueles que não tem domínio da área consigam absorver e compreender o conteúdo, como é o meu caso.
    Adorei o Vigotski e adorei sua escrita. Obrigada.

  4. gostei muito, do texto,estou tentando mergulhar no universo de vygostky, e piaget, confesso que estou tendo dificuldade para compreender esses caras.
    mas o seu texto veio como uma luz .

    • Olá Tamires

      Fico feliz em ter te ajudado. Mas gostaria de te avisar que estamos preparando um curso online justamente para tratar do universo de Piaget/Vygostsky. Onde iremos mostrar na prática como o pensamento deles está estruturado; descrever em detalhes as diferença entre as suas visões; e mais, vamos mostrar como as teorias elaboradas por eles podem ser utilizadas no dia a dia da sala de aula.

      O curso será oferecido por um valor simbólico cuja renda será revertida para as obras do Instituto Hélio Teixeira.

      Nos próximos dias vamos lançar este curso online. Contamos com a sua participação.

      Forte abraço!

  5. ola venho por meio desse comentario perguntar qual e a resposta desta pergunta pois anulei essa questao.
    1 Ao se estudar mais profundamente a cognição humana, ou sobre as teorias da construção da inteligência, vemos que os teóricos Vigotsky e Wallon consideram a escola como um espaço essencial para pessoas em processo de desenvolvimento. A partir dessas posições, o desenvolvimento humano deve ser compreendido em um contexto:

    A) histórico, individual e associado às funções de escolarização e seriação em graus de ensino; A ¿ Aprendizagem.

    B) pessoal, personológico e relacionado às funções hereditárias de quem aprende;

    C) escolar, intelectual e agregado a fatores de coeficientes que regulam a aprendizagem;

    D) sociocultural, biológico e integrado às funções de afetividade, inteligência e motricidade;

    E) social, classificatório e comparado às escalas de conhecimento escolar.

  6. Olá Daniele

    A resposta correta para o enunciado em questão é a opção “D” – sociocultural, biológico e integrado às funções de afetividade, inteligência e motricidade.

    Grande abraço

    Hélio Teixeira

  7. Olá, Sr. Helio,

    Venho agradecer a você pela criação deste Blog e espaço virtual de interação e pesquisa . Amei o artigo:
    Teoria do Desenvolvimento Cognitivo de Lev Vygotsky. Um dos mais complexos e completos que encontrei na internet. Parabéns por sua iniciativa.
    Sinceramente,
    Regina dos Santos – Professora da rede pública do Município de São Paulo, Mestre em Educação e educadora incorrigivelmente apaixonada pelo ato de educar!
    Um abraço.

  8. Boa noite! No meu curso de pedagogia,estou fazendo um trabalho sobre Vygotsky…Na sua opinião senhor Helio como a teoria de Vygotsky pode auxiliar o professor na sala de aula?

  9. Ola, boa noite seu artigo a meu ver é excelente está me ajudando em meu projeto de TCC, estou estudando A AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL, onde tenho que desenvolver sobre a aprendizagem das crianças.
    quando tiver postado mais artigos nessas linha ficarei grata por lembrar me, obrigado Cristiane. R

  10. excelente tenho 56 anos estou cursando pedagogia muitos acham que e muito tarde mais eu estou amando fazer este curso mim sinto uma adolescente por poder ter um conhecimento diferenciado .fui fazer uma pesquisa e mim deparei com este homem tao sábio senhor Helio muito obrigado

    • Oi amiga, está de parabéns não tem nada de tarde. Eu quero fazer tbm tenho 50 anos. A idade não tem nada a ver. Basta ter vontade.
      Já encontrei várias pessoas no meu caminho tentando me desanimar. Vc tem potencial e eu tbm bora em frente amiga.

    • Boa tarde Euridice e Roseli,

      Fico muito feliz por ver em vocês a vontade de aprender e crescer no conhecimento. Feliz também em ver que vocês ainda conservam o brilho nos olhos que muitos esquecem na adolescência.

      Contem sempre com o meu apoio e sintam-se abraçadas agora!

      Que Deus vos abençoe!

  11. excelente tenho 56 anos estou cursando pedagogia muitos acham que e muito tarde mais eu estou amando fazer este curso mim sinto uma adolescente por poder ter um conhecimento diferenciado .fui fazer uma pesquisa e mim deparei com este homem tao sábio senhor Helio muito obrigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here